Produção francesa “Zarafa” é destaque
em gênero dominado pelos Estados Unidos

Publicado em 23 de Fevereiro de 2014
por Welington Gonzaga
Produção francesa “Zarafa” é destaque <br>em gênero dominado pelos Estados Unidos
# Cinema #
0

“Zarafa”, em árabe, quer dizer girafa. E esse é o nome de uma animação francesa, do ano de 2012 (mas lançada no Brasil em julho de 2013), cuja história gira em torno da chegada da primeira girafa à França. “Zarafa” é uma animação (veja o trailer) e, embora muitas pessoas tenham a ideia equivocada de que filmes de animação são fantasiosos e voltados apenas às crianças, a história é inspirada em fatos reais. Mas há licenças poéticas que dão ritmo ao filme…

De acordo com o site AdoroCinema.com, na época do lançamento de “Zarafa” houve polêmica porque a animação não teria sido muito fiel ao mostrar como a girafa havia sido levada da África para a Europa (na animação ela é transportada num balão ao atravessar o Mar Mediterrâneo). Por isso, o Museu de História Natural da França chegou até a criar uma exposição temporária chamada “A verdadeira história de Zarafa” com o intuito de mostrar outra versão da história. 

Mas, polêmicas e licenças poéticas à parte, “Zarafa” é uma prova do competente trabalho dos diretores Rémi Bezançon e Jean-Christophe Lie. Pode-se dizer que a dupla é ousada ao fazer (na França) uma animação que encanta a adultos e crianças diante de uma indústria dominada por animações norte-americanas.

Em “Zarafa”, durante 1h18min, além de acompanhar a trajetória do menino Maki e o apego dele ao filhote de girafa, é possível refletir sobre outros temas, tais como o escravismo e o impacto do tráfico de pessoas sobre a vida daqueles que são vítimas, e, também, pensar na defesa dos animais. “Zarafa” é, ainda, uma prova da importância da história oral passada de geração a geração.

Deixe seu comentário