Dia Mundial do Trabalho

Publicado em 1 de maio de 2013
por Welington Gonzaga
Dia Mundial do Trabalho
# Opinião #
0

Começar a trabalhar no primeiro dia do mês de maio envolve certa carga simbólica. No ano de 2008, especificamente nesta data, a TV Sul de Guaxupé contratava um novo funcionário para compor sua equipe. Um jovem de 23 anos, recém-formado no curso de Jornalismo da Universidade Federal de Viçosa.

A conquista do primeiro emprego dentro da área de formação é significativa para profissionais de todas as áreas, mas, principalmente, para quem é formado em Comunicação Social. Isso porque nessa área específica o mercado de trabalho oferece mais vagas nas grandes cidades, onde existem jornais, revistas, editoras, assessorias de comunicação, emissoras de rádio e de TV. Nas cidades de pequeno porte é mais difícil a inserção no mercado, pois são poucas as opções. Quem consegue, tem motivos para comemorar. (E sou muito grato por isso!)

Há quem defenda que, hoje, exista uma inversão no comportamento dos profissionais, pois, diante da saturação do mercado nas grandes cidades, muitos preferem fazer carreira no interior. Mas o profissional de comunicação que decide trabalhar nas cidades pequenas deve ter consciência das dificuldades que irá encontrar: limitações técnicas, equipes reduzidas, acúmulo de funções, desrespeito ao piso salarial e à carga horária estabelecidos para a categoria, entre outros problemas. Logicamente, essas dificuldades também são encontradas nas grandes cidades, mas, no interior, há o agravante das poucas opções. Enquanto nos grandes centros os profissionais podem não concordar com determinadas condições de trabalho e buscar outras alternativas, nas cidades pequenas eles ficam limitados e sujeitos à exploração.

Embora não possa ser compreendida de maneira generalizada, a mentalidade interiorana dos detentores dos meios de comunicação, muitas vezes, é de que as regras estabelecidas pelas empresas são inquestionáveis. Quem não concordar deve cair fora e deixar a oportunidade para quem está disposto a se sujeitar aos abusos.

O propósito deste texto não é fazer uma crítica sobre o mercado de trabalho para comunicadores sociais, jornalistas, no interior. Muito menos induzir ao pensamento de que conseguir e manter um emprego nas cidades grandes seja mais fácil. (Não é!) Mas, sim, destacar como a inserção no mercado e o respeito aos profissionais são importantes.

Que o “Dia Mundial do Trabalho” sirva para o trabalhador refletir sobre sua atuação profissional. Independente da área, tão importante quanto o respeito dos empregadores às leis trabalhistas, é o compromisso assumido pelo profissional durante o desempenho de suas atividades. A mesma responsabilidade deve ser exigida daqueles que trabalham por conta própria. Afinal, o trabalho é fundamental na vida de todo ser humano – seja empregado, empregador ou autônomo – e deve ser feito sempre com muita ética!

Deixe seu comentário